sábado, 3 de dezembro de 2016

Prelúdio a Primavera


É com imensa satisfação que venho comunicar que nosso presidente da atual gestão, Dr. Josemar Alvarenga, foi premiado pela AFEMIL- Academia Feminina de Letras e Universidade Livre da Academia Mineira de Letras em primeiro lugar na categoria POESIA, com o poema a seguir:





Prelúdio à Primavera


Ipês floridos: roxo, rosa, ouro e prata contrastam com o céu azul de brigadeiro.
Quem primeiro? Árido tempo... Cáustico ar... Inclemente sol...
Peleja de escol... Inóspita terra... Tempos de guerra...
Vida a cobrar? A sequidão responderá.
O homem só lamenta e pouco se contenta, polui a natureza a ceifar.
Olha o passarinho – o agrotóxico o matou.
Olha as flores – o fogo as queimou.
Olha as estampas - o pó as encobriu.
Olha as cores – o homem as apagou.
Troncos retorcidos fingem-se de mortos. Cascas requeimadas,
destroços em estacas, tocos do nada sob camadas de pó.
Vestes? Mortalhas? Nada...
É Perséfone endemoniada no seu temporário submundo, com Hádes coabitar!
Poeira dos infernos do fim de inverno.
Ressequido eterno agoniza os rios.
Não!... É estorvo? Falsidade? Fato.
E a esperança grávida prenuncia os botões da vida...
Mas, se da cinabarina terra venta ode à morte,
empoeira a terra com a má sorte, será outra guerra?
Não!... Não!... É trégua à morte em redenção à vida.
E, ela se anuncia atrevida...
A poeira derradeira que se assenta suave e maneira denuncia a paz.
São grãos de confetes ao carnaval que se prenuncia.
Viva a alegria!... Da imensa esperança, natural e sem lambanças,
renascem e florescem da sequidão, nas copas entre maviosos sabiás,
exuberadas e coloridas flores dos ipês...
Então, Gaia se estremece garrida, pois, Perséfone abandonou Hádes.
Agora, volta aos ternos braços da mãe querida.
Gaia incendida se prepara a recebê-la!
Bendita primavera! Tempo de nova vida!...


            Josemar Alvarenga                        Capim Branco, 7/9/ 2016

Um comentário: