terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Cartinha ao Papai Noel



CARTINHA AO PAPAI NOEL

Papai Noel, eu não gosto mais de você. Você veste de vermelho, nos dá conselhos. Mas, o que adianta Papai Noel? Eu pedi um
presente e você não veio... Falou para eu mandar cartinha, você a receberia com todo carinho e traria o meu presentinho com todo cuidado. Mentira. Você não veio nem me mandou nada. Papai falou que na noite de Natal, ele escutou barulho na janela e pensou que fosse um ladrão. Aí ele deu um tiro da espingarda dele lá, de encher pela boca. Então, você se assustou. Foi embora. Não me deixou o presente. Era presentinho, Papai Noel. Não era coisa cara nem grande, não! Você podia ter jogado pela janela ou deixado na porta, no chão mesmo, antes de fugir. Eu não iria incomodar. Eu acreditei nas falas de papai. Mas, pensei bem!... Ele falou com a mamãe que a coisa está feia. Não há emprego. Ele foi mandado embora!... A firma quebrou, não teve dinheiro nem para pagar a indenização. Saiu com uma mão na frente e outra atrás. Assim ele falou com a mãe. Repisou: “Economize. Lâmpada em casa será somente uma. Vou tirar todas as outras. Não tem banho quente só um por semana. Economizar água muito mais do que já economizamos. Descarga na privada, só no fim do dia. Eu vou controlar os canos e desligar a eletricidade. Arroz e feijão serão nas metades servidas todos os dias. Carne, ovos, doces, frutas, nem pensar! Não há dinheiro nem para a pólvora”, assim ele disse a mamãe. Então, como ele deu tiro em você, Papai Noel? Ele falou num tal de mensalão, petrolão que faliram o país. Falou num tal de PT; ele acreditava muito nesse cara. Falou num tal de Lula e dona Dilma, que papai chamou de chefes de quadrilha. Eu não sabia que gente grande, gente velha brincava de quadrilha. Eu pensava que quadrilha era dança de crianças, nas escolas!... Acho que aquelas pessoas que papai falou, eram patrões do papai. Papai falou que foram eles que quebraram o país e despediram papai do emprego dele, fixo e de muitos anos. Papai Noel, você até não precisava trazer meu presentinho, não. Mas, você poderia ter ajudado ao papai. Ele está triste, tristíssimo, tristonho. Falou que lá em casa, se ele não arranjar emprego, vai faltar o de comer. Eu vou ter que deixar a escola. A mamãe ficou brava com ele: “Não vai me inventar beber, não senhor! Nós vamos enfrentar tudo isso juntos, de peito aberto e vamos vencer”. Eu acho que deveria ser Mamãe Noel. Mamãe é mais forte. Você não acha? Também, não aconteceu nada de tiro naquela noite não!... Eu passei a noite em claro. Fiquei acordado esperando meu presentinho. Eu não ouvi nem vi nada daquilo que o papai contou. Eu acho que o senhor, Papai Noel, não veio foi pela crise que o papai falou que o PT, Lula e dona Dilma causaram ao Brasil. Para mim, foi isso. Eu gostava tanto de você, Papai Noel!... Por que você entrou na política e deixou se envolver? Você acreditou no PT também, como meu pai? Você confiava no Lula como meu pai? Você defendia a dona Dilma como papai? Papai Noel, você foi mandado embora do serviço ou você também quebrou? Ou foi sua fábrica de brinquedos? Roubaram seu Saco de Brinquedos? Foi isso? Faltou feno para as renas? Elas adoeceram? O banco tomou seu trenó? Ou quebrou as pernas das renas? E as crianças como eu, Papai Noel, como a gente fica? Papai Noel eu não gosto mais de você. Mesmo assim, vou fazer um pedido: Reze para nós que mandamos uma cartinha, peça a Deus para a paz no Brasil, para o Brasil melhorar e não ter mais essa gente que gosta de dançar quadrilha e tirar o emprego dos pais das crianças que acreditam em Papai Noel e mandam cartinhas. Desculpe Papai Noel... Eu só estava brincando com você. Eu gosto de você, Papai Noel. Eu sei que você é bom e não abandona as criancinhas assim. No ano que vem eu sei que meu pai vai ter emprego. No próximo Natal você virá trazer meu presentinho. Papai do céu vai ajudar. Você não vai ficar de mal comigo. Até o próximo Natal, Papai Noel. Feliz Ano Novo, com muito emprego para os pais desse povo, dessa gente miúda como eu.

Autor: Josemar Alvarenga

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do texto, amigo Josemar. Uma pena que tantos terão que cantar apenas aquele trecho da conhecida melodia: "... Já faz tempo que eu pedi / Mas o meu Papai Noel não vem / com certeza já morreu /
    ou então felicidade é brinquedo que não tem.". Apesar de tudo, um Natal de paz pra você e família. Abraços do Marcos Salun.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Salum. Mas, há um ditado que diz: "Toda coruja acha seus filhos lindos. Por isso, o elogio se não vem da mãe, vem de anjos."

    ResponderExcluir